sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Hipnose hoje

Cinco perguntas sobre Hipnose feitas por Ana Cristina:

1. Doutor, afinal, o que é Hipnose? E qual a diferença entre a hipnose de palco – muito comum em programas de televisão e shows de ilusionismo, e a hipnose clínica?
R: Existem muitas definições de Hipnose, dependendo do ponto de vista do definidor: " Hipnose é Dissociação". "Hipnose é auto-hipnose." "Hipnose é um estado alterado de consciência". Talvez o mais importante princípio sejam considerar que através da Hipnose pode acessar-se o inconsciente com mais rapidez, para obter os resultados e mudanças necessários. Mas Hipnose não é uma panacéia, nem resolve tudo sempre. Além disso entra na equação o profissional que a emprega, com suas capacidades, conhecimento, limitações e defeitos.
A Hipnose de palco é um desserviço prestado à ciência da Hipnose: pelos riscos, pelas distorções do uso da Hipnose, pelas falsas e errôneas impressões que provocam e que muitas vezes afastam pessoas que poderiam ser auxiliadas com o uso da Hipnose. A Hipnose Clínica usa os conhecimentos científicos atualizados para auxiliar pessoas necessitadas nas usas dificuldades da vida.

2. O senhor afirma que é possível tratar doenças diversas como depressão, síndrome do pânico, fobias, dores em geral, doenças psicossomáticas, entre outros, através da hipnose. Como isso é possível?
R: A Hipnose é um instrumento para ser usado em várias profissões. A Hipnose busca liberar capacidades que as pessoas possuem e não sabem que possuem, ou não sabem usar. As dificuldades citadas podem ser atenuadas, aliviadas e às vezes, resolvidas. E, às vezes, em curto espaço de tempo com o uso da Hipnose e suas técnicas e abordagens. Um dos principais benefícios da Hipnose é no tratamento da dor: seja de câncer, dor do membro fantasma, cefaléia, por exemplo. Outro campo onde a Hipnose seria um enorme auxílio é na Odontologia: nos medos, ansiedade, dores, bruxismo.

3. Aqui no Brasil a hipnose ainda caminha em passos lentos, em expansão, ao passo que no exterior o campo de utilização da hipnose é muito amplo e respeitado. Na sua opinião, porque a hipnose ainda sofre certo preconceito no nosso país?
R: Nunca encontrei preconceito sobre a Hipnose. No máximo medo ou desconfiança, ou fantasias sobre a Hipnose. E a culpa é dos que usam a Hipnose e não divulgam os fundamentos e bases científicas e utilidades da Hipnose para a população. Mas é verdade que no Brasil está sendo feito pouco, diante do muito que deve ser feito para que a Hipnose ocupe a posição que merece. No Brasil faltam lugares que ensinem a Hipnose, faltam livros sobre Hipnose. Congressos, jornadas, cursos e palestras deveriam ocorrer com maior frequência em todo o País. Odontologia, Psicologia e Medicina são áreas autorizadas por lei, através de seus respectivos Conselhos Federais, para exercer a Hipnose.
4. Quem pode participar? É possível aplicar as técnicas da hipnose logo ap. Há um campo de estudo científico chamado hipnoanálise, que consiste na união da hipnose com a psicanálise. Como a hipnose pode contribuir nos processos psicoterapêuticos junto à psicanálise e a psicologia?
R: A Hipnoanálise, que não deve ser confundida com Psicanálise sob Hipnose, é um aspecto do uso da Hipnose onde são feitas perguntas gerais, abrangentes, sobre determinada dificuldade, durante o transe hipnótico, para identificar causas (nem sempre encontradas) e para atenuar ou resolver estas situações. A Hipnose não se preocupa em fazer arqueologia psicológica, de resultados in certos, mas busca resolver problemas, oferecer alternativas para aquelas dificuldades ou comportamentos considerados inadequados. As nossas dificuldades surgem e são mantidas quando julgamos que não temos alternativas para lidar com elas.

5. No dia 14 de dezembro o senhor irá ministrar o V Workshop Universo da Hipnose em Porto Alegre/RS. O que se pode esperar do curso? Quem pode participar? É possível aplicar as técnicas da hipnose logo após o evento?
R: No V Workshop O Universo da Hipnose serão apresentados os fundamentos, princípios e técnicas para o conhecimento e uso da Hipnose. E teremos muita prática, muitos exercícios de
Hipnose, para facilitar a prática e motivar o uso deste importante recurso clínico. O que se pode esperar é um conteúdo objetivo, atualizado, direto para um adequado entendimento do que é e para quê serve a Hipnose. Além disso, serão realizados muitos exercícios práticos de indução de Hipnose entre os participantes, para perder medos e receios.
Podem participar Odontólogos, Psicólogos, Fisioterapeutas e Médicos. E os estudantes destas áreas. Quanto ao uso imediato deste aprendizado depende de cada um. Milton Erickson, o grande impulsionador da Hipnose moderna, assistiu uma demonstração de Hipnose de palco, procurou a pessoa que tinha sido hipnotizada, repetiu tudo que o hipnotizador fizera, e conseguiu obter o transe hipnótico. Erickson tinha 22 anos naquela oportunidade. Kay Thompson, destacada odontóloga e Hipnóloga, assistiu a uma palestra de Hipnose, foi para o consultório, e com aquilo que aprendera, hipnotizou um paciente para tratamento de canal com sucesso, sem anestesia. No meu caso, foi depois de muitos cursos, muitos livros e artigos, muitos vídeos, que resolvi aplicar os conhecimentos obtidos. E cada dia é sempre uma surpresa e admiração com o uso da Hipnose.
Realmente, caminhar para a Hipnose, é entrar num novo mundo, num novo Universo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atividades Científicas em Hipnose


Este espaço será destinado para divulgar atividades científicas de destaque no Brasil e Exterior.

Pesquisar este blog